BOYS + MAXI-BAG : SERÁ QUE ROLA ?

Wow !!! Quase pirei ao conferir o “look book” da coleção primavera-verão 2.011 da tradicionalíssima grife Joop. Sua moda, como de costume, superbásica com aquela cara-de-chique – quase sem querer (querendo, óbvio) -, continua a mesma. Peças limpas, cores sóbrias, enfim, dá vontade de comprar tudo – ou ao menos, usar sua coleção de inspiração para consumir peças parecidas de grifes mais, digamos, acessíveis..

Contudo, o que mais me chamou a atenção (e consequente despertou meu desejo de consumo) foram as muitas bolsas tipo giga apresentadas nas produções.

Lembrou até a febre vivida na moda feminina alguns anos atrás, no início da década, quando grifes do quilate da Chanel, Dior, Louis Vuitton, Yves Saint Laurent e por aí vai, começaram a investir mais em poderosas (e rentáveis) it-bags do que nas roupas em sí, já que, pelo menos naquele momento, a preocupação em mostrar status se revelava mais predominantemente “pendurada” nos braços e ombros do que nos corpos de suas clientes em sí. E pelas imagens aqui reproduzidas – e considerando aqui tratar-se de uma label do chamado primeiro time, que não ousaria sem pesquisar e pensar muito no assunto -, a nova onda tem tudo para pegar.

Coincidindo com um momento em que os homens também tem mostrado um interesse cada vez maior por acessórios “decorativos” e que acima de tudo espelhem e interpretem sua personalidade, sua individualidade.

De tão acostumados que estamos com as noveautés da recente virada do século, todo esse desejo de se produzir dos meninos (querendo/tentando acertar nos looks) mostra uma nova mentalidade. E vale lembrar ainda que não estou falando aqui apenas dos meninos gays (indiscutivelmente mais avant gardé que os demais) e sim de boa parte dos héteros que transitam de um lado para o outro – muitas vezes de braço dado com suas respectivas namoradas -, mostrando à que vieram, consumindo moda sem encanação e redefinindo assim o who’s is who’s nas ruas das grandes metrópoles mundiais.

Agora é esperar para ver o quanto esse new mood vai dar certo no Brasil – tradicionalmente o país dos “mochileiros” (do estudante ao executivo) e que ainda estranha homem que veste rosa (???) e ver quando essas maxi-bags trarão mais graça e estilo às ruas tupiniquins.

fotos: divulgação Joop

(para ler ouvindo)

AGENDA FASHION 28/11

Queridos leitores do blog, mil desculpas pelo sumiço quase total mas a vida off-internet está consumindo meu tempo (e meus neurônios) a ponto de não conseguir mais postar nada aqui. Mas garanto que é por pouco tempo.

De qualquer forma, achei que seria bacana dividir com todos que passam aqui no dia a dia, e que curtem moda, artes plásticas e intervenções urbanas, um evento organizado pela Casa de Criadores.

Para quem ainda não conhece, trata-se do fashionMob, evento que tem como foco principal levar moda e artes plásticas às ruas, dismistificando sua “verve” elitista, através de uma passeata-manifesto que terá como ponto de partida o Largo do Arouche, no próximo domingo,dia 28/11, às 13 horas.

Maiores infos no site da Casa de Criadores ou neste link aqui.

Então é isso. Espero todo mundo lá. Não perco por nada.

ilustração via o @blog modaearteblog

(para ler ouvindo)

TOP 10: COLE MOHR

Em comemoração aos quase 600 mil acessos aqui do blog e levando em conta que já publiquei absolutamente todo tipo de post nesta página, decidí que era hora de relembrar dez dos nomes mais procurados (hello, stats) aqui nestes três anos de vida do MyPreview e que fizeram a audiência do blog crescer tanto, mesmo em meio à tantos outros blogs que foram criados.

Estou falando do modelo-ícone-tipo-muso-tipo-betty-faria, o texano Cole Mohr, que, resumidamente pode ser descrito como um dos modelos mais versáteis já vistos na recente história da moda mundial. Cheio de frescor e absolutamente avesso à qualquer tipo de preconceito, Cole nos entrega “de bandeja” dez motivos para amá-lo incondicionalmente. Se bem que eu já “faço isso à muito tempo mesmo”.

1- zero blasé, Cole topa qualquer trabalho, desde que se identifique com o contexto .
2- está sempre com um corte de cabelo bacana, variando entre o militar ou versões mais “roquentas”, além de vez ou outra surgir “descolorido” também.
3- com 1.88 de altura, é dono de um (lindo e naturalmente magro) corpo tatuado, e sua pele alva contrasta perfeitamente com suas tatoos, escancarando assim, sua beauté fin de siècle.
4- topou ser clicado pelo alemão Juergen Teller para uma campanha de Marc Jacobs usando suntuosos … vestidos .
4- tem atitude na passarela: vem, vai e “mostra a roupa”, sempre da maneira mais natural possível.
5- faz parte de um seleto grupo de modelos que não vivem de caras e bocas e são “gente como a gente”.
6- versátil, não posa “só de bonito” como alguns coleguinhas de mètier e faz quantas caretas for preciso, se for o caso, of course !!
7- quem conhece e com ele já trabalhou diz que é “zero afetação” e não dá espaço para estrelismos.
8- é darling de poderosos da moda como o superstylist Nicola Fomichetti.
9- foi o maior faturamento entre os meninos no ano de 2.009, segundo o site especializado models.com
10- por culpa de sua agenda (pra lá de bombada) quase veio ao Brasil desfilar, mas este dia chegará. (I hope so)

fotos: reprodução

(para ler ouvindo)

TUTTI BUONA GENTE ??

Este assunto não para. À cada dia surge uma nova polêmica sobre os blogs de moda. E o que não falta é diz-que-diz a respeito do assunto. Aos fashion insiders, inclusive, vale a pena ler a excelente matéria sobre o assunto na edição de outubro da revista “RG”,onde, pasme – a “diaba-mor” Anna Wintour teria declarado que “quanto mais blogs, melhor”.

O espanto sobre tal declaração surpreende, até porque quem acompanha a cena fashion sabe o quanto ela sempre repudiou essa nova forma de falar de moda, inclusive se negando a aceitar dar espaço à blogs na home do site da “Vogue”,o “Style.com”.

Desta vez no entanto, uma declaração supernegativa deixou evidente a posição de mais uma fashionista, a supercriativa e inventiva (por isso mesmo, assustou ainda mais), a lendária Franca Sozzani, editrix da “Vogue” italiana desde o fim da década de 80.

“Quantos blogs sem noção. A maioria deles é uma perca de tempo”.

foto: reprodução

(para ler ouvindo)

EARLY 50’S

Atenção fashion boys, os ventos “sopram” novidades no universo de beleza dos meninos. E como referência, aqui estão as imagens dos modelos mais incensados do mercado de moda internacional: Sean O’Pry, Frederico Cola, Mikus Lasmanis, Roy Pratts, David Gandy e o neotop brasileiríssimo Diego Miguel.

Portanto, candidatos à it-guy, chega de investir no cabelo bagunçado-que-foi-arrumado e nas barbas mal-feitas tipo “estudante-cabeça” e se joguem em looks de silhueta mais seca, skinny jeans nada-modernosos, jaquetas de couro tipo “bomber” ou “biker” em gravatas discretas e mais “fininhas”. Vale também uma produção com suspensórios mas,acima de tudo essa tendência pede suntuosos topetes e vistosas franjas (com a ajuda de um secador-amigo e uma boa cera tudo é possível): early 50’s. Vintage-chic.

fotos: reprodução

(para ler ouvindo)

HAPPY-B @VOGUE PARIS

As comemorações dos 90 anos da mais vanguardista edição da chamada “bíblia da moda”, a Vogue Paris, começam pelo esperadíssimo número de outubro, que inicia o festejo-fashion.

E como era de se esperar, a publicação “chega-chegando” com um dos ensaios mais sexy dos últimos tempos, tudo devidamente “temperado” com o que sua editrix, Carine Roitfeld faz de melhor: fundir sexo,moda e um clima “noir” -, tudo com aquele ar “elegance avec decandence” que nenhuma outra revista consegue fazer tão bem, sem beirar a vulgaridade.

Sadomasoquismo, violência, e homossexualismo parecem ser o briefing do ensaio principal desta edição, que certamente ainda vai render muito “pano para manga” nas rodas de fashion-addicteds e admiradores do trabalho da poderosa Carine.

O time não poderia ser menos estrelado: com cliques Steven Klein e uma protagonista que tornou-se um ícone no mercado de modeling, a gata Lara Stone, o styling do ensaio, claro, ficou à cargo da editora em sí.

Mesmo antes de chegar às bancas, esta edição já é item de colecionador.

fotos: Steven Klein

(para ler ouvindo)

RASTRO SEXY

Faltavam motivos para comprar o novo perfume da D&G ? Pronto, pelo menos já temos um. Ou pelo menos um bom motivo para se dar ao trabalho de ir à perfumaria mais próxima afim de conhecer o lançamento.

O novo coverboy da fragrância é o supertopmuso Tony Ward, que surge na publicidade das revistas e nos outdoors espalhados por aí, exibindo suas belas tatoos e sua eterna cara de sex-symbol.

foto: reprodução

(para ler ouvindo)