THE 60’S GIRL

twiggy.jpg

Como meu post anterior foi sobre a magreza das modelos, nada mais pertinente que lembrar da modelo mais famosa dos anos 60.Twiggy se tornou conhecida pela sua beleza exótica, sua magreza e seu estilo de posar para fotos.

Nascida em 1949 em Neasden, bairro no norte de Londres, Lesley Hornby (seu nome verdadeiro) pertencia a uma família de classe média e foi descoberta em 1966, quando trabalhava num salão de cabeleireiro. O autor da façanha foi o fotógrafo Justin de Villeneuve, nome artístico de Nigel John Davies. Casado e dez anos mais velho que ela, Justin a achou deslumbrante e resolveu investir – profissional e afetivamente. O apelido que a alçou ao estrelado vem desse período. De tão magrinha, Lesley era chamada de “graveto” – twig, em inglês.

Justin apresentou-a ao cabeleireiro-sensação da época, Léonard, que não só cortou o cabelo de Twiggy bem curtinho, repartido do lado, como também colocou uma foto enorme dela em seu salão. Uma repórter do jornal Daily Express viu a imagem e ficou interessadíssima em saber quem era aquela garota com visual tão diferente. Curiosidade satisfeita, publicou uma reportagem enorme referindo-se a Twiggy como “o rosto de 66”.

A partir daí, a carreira de modelo decolou. Logo, já estava na capa da Elle. Diana Vreeland não sossegou enquanto não a estampou nas páginas da Vogue América. Diana, aliás, foi a primeira a notar que Londres vivia um movimento jovem muito importante na metade dos anos 60, o qual ela batizou de Swinging London. Artes plásticas, estilo, cinema, música, comportamento e literatura mudavam conceitos e geravam novas formas de expressão. A herança fashion dessa época é muito rica: sombras coloridas, estampas de efeito óptico, minissaias, cortes de cabelo geométricos… Enfim, Twiggy surgiu como a maior – e melhor – personificação de toda essa efervescência, que ganhou força também em outras partes do mundo.

No entanto, sua carreira foi bem curta – ela deixou de ser modelo em 1969 para apostar nas profissões de atriz e cantora. Participou de programas de TV e espetáculos da Broadway e gravou vários discos – o último, Midnight Blue, chegou ao mercado em julho desse ano. Ela lançou três autobiografias, mas nenhuma delas, infelizmente, está disponível no Brasil: Twiggy by Twiggy (How I Probally Just Came Along on a White Rabbit at the Right Time, and Met the Smile on the Face of the Tiger), em 1968, Twiggy (1975) e Twiggy in Black and White (1997). Atualmente, além de cantar, assina uma linha de aromaterapia, costuma se dedicar a causas sociais e é militante do PETA (People for Ethical Treatment of Animals). Em 1973, posou ao lado de David Bowie para Pin Ups, célebre álbum do cantor.

Apesar de serem considerados o casal 20 da moda nos anos 60, Twiggy e Justin nunca oficializaram a relação. Em 1977, ela trocou alianças com o ator Marco Whitney, com quem teve uma filha, Carly. Ficou viúva em 1983 e se casou novamente com outro ator, Leigh Lawson, de quem adotou o atual sobrenome – ela assina Twiggy Lawson. Os dois moram na Inglaterra.

Veja aqui um vídeo com várias imagens sobre a mais famosa top dos anos 60.

Anúncios

3 comentários sobre “THE 60’S GIRL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s