REGINA GUERREIRO : DIABA BRASILEIRA

 foto4.jpg

Na semana de moda carioca, o Fashion Rio,que se encerra hoje, o maior falatório foi – além da participação dispensável de Gisele Bundchen na passarela da Colcci – por conta da participação de Regina Guerreiro (editora-adjunta de moda da revista Caras) como consultora da grife. Ao que parece – segundo a nata blogueira-fashion, a grande questão não é a qualidade do desfile e das peças apresentadas mas sim, o fato de Regina atuar como crítica de moda,editando seu especial sobre as coleções após as temporadas nacionais.

Engraçado isso. Regina não é, nem será a única editora à prestar consultoria para grifes que se apresentam nas temporadas brasileiras. O editor Giovanni Frasson que é o responsável pelos editoriais da Vogue há mais de 20 anos ( começou como assistente de Regina quando a mesma era diretora de moda da publicação lá nos idos 80’s) já foi styilst de vários desfiles,tanto na SPFW quanto no Fashion Rio. O editor Paulo Martinez da revista FWMAG,produzida pelo nucleo da SPFW também presta consultoria para muitas grifes e continua lá,editando sua revista. Jackson Araújo que por anos foi o braço direito (e esquerdo,dizem…) da editora Erika Palomino,então, nem se fala,chegou a fazer o estilo de mais de 10 desfiles numa só temporada e nem por isso deixou de cobrir o evento para o site de Erika.

foto5.jpg

Portanto, é muita pegação no pé da nossa diaba brasileira. A grife para a qual Regina prestou consultoria, a TNG é apenas mais uma fábrica de jeans e camisetas (…). Não dá para esperar que – apesar de sua experiência de mais de 40 anos na moda – a grife vá se tornar uma Dsquared2 de uma hora para a outra.

Regina tem fama de difícil mesmo. Porém, vale lembrar que a elite brasileira de editores de moda começou com ela : Jussara Romão (ELLE),Patricia Carta(Vogue),Giovanni Frasson(Vogue),Mario Mendes(Vogue,ELLE,Interview),Paula Lang(ELLE) e recentemente,o Ricardo Oliveros que até a edição anterior do Especial Caras Moda Regina Guerreiro atuou como seu assistente.

Se é verdade o que dizem por aí : “respeito,se adquire com trabalho”, vamos deixar Guerreiro fazer o que ela sabe de melhor : viver de moda e para a moda.

foto11.jpg

Veja abaixo o release de Regina,publicado no site da grife :

A TNG APOSTA NA VELOCIDADE e joga na passarela a moçada  mais apressada do mundo. O que eles & elas vestem?

jeans desabados, pintados, borrados.

Olha lá, as pinceladas azuuulão dão a pinta 2008. As jaquetas de couro chegam “cortadas no fio”, mais curtas, mais sequinhas. Zípers. Mais zípers. E – nossa! – olha só esses abotoamentos deslocados, desencontrados, “descarados”, desviados… O macacão – meio de mecânico (tem algo mais sexy?), meio Fórmula I – é de parar o trânsito. Depressa: dá um pit-stop aí.

A TNG APOSTA NA COR, quanto mais assanhada melhor. Cítrica, corada, “coralda”, quase  tipo “cheguei”. Em verdade, somos chegados num bom bicolorido. Vai daí que um punhão de malha amarelão joga pra cima uma jaqueta azul marinho. Ou a vira de uma gola azul hortênsia, ilumina legal, uma japona verde garrafa. Outro lance: adoramos mixar texturas: jeans com cetim, vinil com algodão, melancia com melão. Ui!

A TNG APOSTA NA AÇÃO: tem que trabalhar, tem que agitar, tem que batalhar um dinheirinho ou – de preferência – um dinheirão. Eles & elas sabem disso e…vão à luta usando ternos-gêmeos, no melhor estilo androginia urgente. Padrões: vale o risca de giz, chiquérrimo sempre. Vale o tweed falsinho, como o inverno do Brasil. Vale o xadrez meio esfumado, disfarçado. O paletó mais curto volta com força, mas a turma da cerveja vai preferir o mais longo, claro. Uma bossa: o zíper substituindo o abotoamento de um paletó de veludo cotelê. O tal do colete se exibe sempre que pode. E as camisas listradas, tecnicoloridas, sacodem com força essa seriedade toda.

A TNG APOSTA NA SEDUÇÃO, porque afinal ninguém é de ferro. Vai dai que quando a noite cai, o inacreditável acontece. Pode ser até que ela vire uma gueixa. Pode ser que até ele de uma de samurai. Valem os cetins acolchoados, valem os abotoamentos very Mao, valem quimonos molengos, etc.etc…Anyway, Oriente & Ocidente “anoitecem” juntos, abraçados. Brigas de estilos? Nem pensar. Afinal, trata-se apenas de “um faz de conta fashion”…

texto de Regina Guerreiro – fashion consultant at large

As fotos que ilustram esse post são nova campanha da grife TNG.

5 comentários sobre “REGINA GUERREIRO : DIABA BRASILEIRA

  1. Andre, eu,ao contrario de vc,amo essa mulher.Ela escreve de um jeito completamente diferente dos muitos editores que temos aqui no Brasil. Cheia de referências culturais,historicas e da propria historia da moda,coisa que gente muito nova no meio nao tem. Mas vc tem o direito de nao gostar dela. Nao é o unico,eu garanto (rs).
    Tks pela visita e a proposito, seu blog é lindo.
    Valeu,
    Stuart

  2. Alguns nomes citados por você na comparação (Giovanni, Paulo Martinez) são de stylists, sendo perfeitamente normal que assinem desfiles nas semanas de moda. Isso acontece com stylists do mundo todo. A Regina é jornalista e crítica de moda, ou seja, escreve sobre os desfiles. É diferente. Ainda mais conhecendo a linguagem ácida e ferina de seus textos na Caras. Acho que esse é o x da questão. O valor dela para a moda brasileira é inquestionável, mas o resultado de seu trabalho na TNG é bem duvidoso. Quanto à Erika ter assinado mais de 10 desfiles numa temporada de moda, não me lembro disso não…quando foi isso?
    Abraços.

  3. ixi, stuart, isso reeeeeeeende uma conversona, néam? assunto pra uma tarde inteira. =)

    (o que não rende controvérsia é que o texto dela é O MAIS LEGAL que já se viu por auqi, né? ninguém é tão esperto! adoooooooro, mega mega mega fã desses escritos.)

  4. Sylvain, acho que vc nao leu o post na integra. Eu citei o Jackson Araujo (remember?)..braço direito da Palomino por seculos, que fazia SIM o style de pencas de desfiles. E depois escrevia os releases no site dela. Vc nao viu aquela revista babadex Question que contou todo esse balaco-baco sobre as pessoas chamarem o Jackson pra fazer o estilo e o Felipe Venancio (marido dela na epoca) pra fazer a trilha? mundo pequeno. E qto ao Paulo (que eu super admiro) e ao Frasson. Na minha opiniao, por serem editores de revista nao fica bacana fazer o styling mesmo. acho que fica meio…bom, vamos deixar essa historia toda pra lá,né ? como diria minha sacerdotiza fashion, a Guerreiro….coisicas….
    grande abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s